se Brz EMR - Reefer Container Brasil: A IDENTIFICAÇÃO DE UM CONTÊINER
back to top

A IDENTIFICAÇÃO DE UM CONTÊINER

Você já se perguntou para que servem todos aqueles números e códigos existentes nos contêineres? Eles servem para a identificação de cada contêiner, como se fosse uma “carteira de identidade” individual.

Esta numeração é obrigatória (não é pessoal), foi proposta em 1969 pela BIC (Bureau Internacional des Containers) e padronizada desde 1972 pela ISO (Organização Internacional de Normalização ou Organization for Standardization).


Estes códigos chamam-se “Códigos BIC / BIC-Code Register” ou “Alpha-Códigos ISO / ISO Alpha-codes” e são utilizados como marcação de contêineres em todos os documentos de transporte e na Declaração de Importação (DI).




1) ELEMENTOS

Os 11 elementos alfanuméricos significam:


📌O código do proprietário: Formado por 04 (quatro) letras do alfabeto, sendo as três primeiras "JVC" referente ao código de registro ISO do proprietário do contêiner (JVContainer) e a última sempre será a letra “U”, indicando “Unit” ou “Unidade”.



📌O número de série: Formado por 06 (seis) algarismos romanos, indicando o número do contêiner em relação à sua frota. Existem casos em que a frota não alcança todos os algarismos, nestes casos deve-se preencher as todas as posições com 0 (zero).


📌O dígito de verificador: Formado por uma operação matemática de soma, onde junta se o valor das letras e o valor dos números de série, tornando o assim um número único e diferente para cada contêiner, evitando erros.


2) CARACTERES

Logo abaixo, existem mais 04 caracteres que podem ser somente números ou alfanuméricos que formam a identificação das dimensões e tipo do contêiner. Da seguinte forma:


📌O primeiro dígito representa o comprimento:


2 para 20’

4 para 40’

📌O segundo dígito indica a altura do contêiner, sendo:


0 para 8’

1 para 4’
2 para 8’ 6”
5 para 9’ 6”
9 para 1’ ¼” ou 2’

📌O terceiro dígito é o da categoria do contêiner, conforme listados abaixo:


0 Contêiner fechado

1 Contêiner fechado, ventilado
2 Contêiner isolante e térmico
3 Contêiner refrigerado
4 Contêiner refrigerado com equipamento removível
5 Contêiner com teto livre
6 Plataforma
7 Contêiner tanque
8 Contêiner de granel e de gado
9 Contêiner ventilado


📌Ou ainda temos o quarto dígito junto:

GP, GO, G1 - General Purpose (Proposta geral)

VH, V2, V3 - General Purpose Ventilated (Proposta geral, ventilado)
BU, B0 - Bulk (Graneleiro)
UT, U1 - Open Top, Hardtop (Sem Teto)
UP, U6 - Hardtop (Aço, com chão de madeira)
PL, P0 - Plataform (Plataforma)
PF, P1, PC, P8 - Flat Rack (Sem paredes)
RT, R1, RC, R9, RS, R3 – Refrigerated (Refrigerado)
HR, H0 – Insulated (Isolado)
TN, T0 – Tank (Tanque)


3) LETRAS

Podem haver ainda duas ou três letras que codificam a nacionalidade deste contêiner, à frente destes 4 caracteres anteriores.


Por exemplo: US para Estados Unidos da América ou BRX para Brasil.



Nota - Esta identificação é utilizada globalmente por mais de 2.000 proprietários ou operadores. Uma cópia do BIC-Code Register é publicada anualmente em todos os países, também ficando disponível a consulta no site da BIC por seus membros, terminais, autoridades alfandegárias e outras organizações internacionais.



4) A PLACA


Segundo a Convenção Internacional para Segurança de Contêineres (CSC), assinada em Genebra, em 2 de dezembro de 1972, ainda é necessária uma placa retangular fixada de modo permanente, resistente à corrosão e ao fogo, com medidas de pelo menos 200x100 mm.


Nela deverão conter as seguintes informações, em inglês ou francês, entalhada ou em relevo, ou ainda de maneira permanente e legível: “CSC SAFETY APPROVAL”, ou seja, “Aprovação de Segurança CSC”, com caracteres de pelo menos 8mm de altura.




Todos os demais caracteres e/ou algarismos devem ter pelo menos 5mm de altura, seguindo a ordem abaixo:



1) País de Aprovação e Referência de aprovação;

2) Data (mês/ano) de fabricação;
3) Número de Identificação do Fabricante do Container ou o número atribuído pela Administração;
4) Peso Bruto operacional máximo (kg e Ib);
5) Peso de empilhamento permissível para 1,8g (kg e Ib);
6) Valor da Carga para teste de rigidez transversal (Kg Ib);
7) Espaço em branco para inclusão de outros valores, como: resistência das paredes laterais, inspeção, manutenção. etc.




AS ALTERAÇÕES

Quando houver alguma alteração em relação ao dono ou empresa proprietária do contêiner, o seu código deverá ser alterado também. O procedimento possuirá os mesmos trâmites de sua obtenção.

Nenhum comentário :